Marketing / 06-May-2021

5 erros na gestão de redes sociais

News
por Merkat - Agência Digital

Gestão de Redes Sociais

A gestão de redes sociais é um desafio para as empresas e as suas marcas. Por vezes, o preço a pagar por uma má gestão de redes sociais pode ser muito elevado. Cada vez mais, as marcas apostam numa gestão especializada destas plataformas. A verdade é que não há uma fórmula mágica para fazer gestão de redes sociais. Dependendo da sua dimensão, as empresas podem optar por fazer uma gestão interna, recorrer a empresas de marketing digital, ou até a freelancers. 

Já não basta estar presente. Numa altura em que a internet tem um poder crítico avassalador, há que saber como e quando trabalhar a nossa mensagem. Não faltam exemplos de más práticas. Este artigo parte do pressuposto de que a gestão de redes sociais é benéfica para as marcas, desde que seja bem trabalhada. Seguem os 5 erros na gestão de redes sociais que as marcas devem evitar a todo o custo.

1 - Não saber onde estar

Antes de criar uma página de negócios de Facebook, Instagram ou Linkedin, devo tentar perceber porque é que estou a optar por estas redes sociais. É lá que está o meu público-alvo? E de que forma? Muitas das vezes, as marcas optam simplesmente por não estar em algumas redes sociais. Isso não é necessariamente errado. Há diversas marcas que já o fizeram, seja porque beneficiam mais em não estar presentes, ou porque queriam repensar a sua estratégia. 

2- Não criar um plano editorial

Um gestor de redes sociais deve olhar para o seu trabalho como um editor olha para a redação do seu jornal. A palavra chave é planeamento. Quantas publicações devo fazer por semana? E a que horas? E que tipo de conteúdo devo comunicar? Aposto numa estratégia de brand awareness ou o meu público já está suficientemente maturado para a conversão? Que publicações devo promover? É este o tipo de questões que se devem colocar antes de fazer um plano editorial. É aqui que adequamos o nosso conteúdo de uma forma cronológica, mas essencialmente estratégica.

3 - Não conhecer o seu público

Este ponto é similar ao primeiro. Assumindo que estamos presentes numa determinada rede social porque o nosso público-alvo lá está, devemos adequar o tom da nossa mensagem. A forma como nos comunicamos com o nosso público é o segredo para que este se identifique com os nossos produtos ou serviços. Para que isso aconteça, devemos conhecer a fundo quais são as suas dores e necessidades, mais do que características como a idade ou o género. Por exemplo, não basta dizermos que faz sentido estarmos presentes no Instagram porque é lá que está a população mais jovem. É preciso conhecermos que atributos diferenciadores são identificáveis com a minha oferta competitiva.

4 - Não perceber como funciona o algoritmo 

Falamos da rede social mais popular do mundo, o Facebook. Longe vão os tempos em que o alcance orgânico era significativo. Atualmente, sabemos que apenas cerca de 4% a 6% dos nossos seguidores veem as nossas publicações. Este número é variável, e muitas vezes está dependente de algum engagement. Se pensarmos que, se tivermos uma página com 100 seguidores, apenas temos 4 a 6 visualizações, leva-nos a pensar na nossa taxa de esforço em publicar conteúdo. Tal como em outras redes sociais, o Facebook vive essencialmente de receitas vindas de publicidade das páginas de negócio, sobretudo devido à limitação que vem sendo crescente nos últimos anos. A resposta que devemos dar é criar conteúdo de qualidade, e promovê-lo de forma segmentada ao nosso público-alvo, na medida do possível. A verdade é que o Facebook continua a ser uma rede social com relativa eficácia para comunicar.

5 - Não ter uma gestão reativa

Vivemos num mundo em que a rapidez de informação se sobrepõe à qualidade. Certamente já ouviu falar em marketing de oportunidade. É tão simples como o poder de aproveitarmos factos da atualidade em nosso proveito, com uma dose de criatividade. É uma forma de pouparmos dinheiro no copy ?. Por outro lado, a gestão reativa é também acompanhar tudo o que são reações e comentários. Já sabemos que a Internet não perdoa, e por isso convém estar em cima do acontecimento. É claro que se tiver um bom produto, haverá menos probabilidade de acontecer. No entanto, há atividades em que a qualidade não consegue ser transversal a todos os consumidores, como é o caso das empresas de telecomunicações. Deve-se, ao máximo, investir no serviço pós-venda e no atendimento ao público, de forma a antever reclamações que serão do conhecimento público, e que muitas vezes se tornam virais.

 

Estes são alguns dos erros na gestão de redes sociais, e muitos outros poderiam ser abordados. Sabemos que não é um processo que está ao alcance de todas as organizações, seja por ausência de estratégia ou falta de recursos. Na Merkat, fazemos uma gestão de redes sociais organizada e coordenada com os objetivos do cliente. Criamos conteúdo de interesse para a comunidade de seguidores de uma forma regular. Ainda não tem uma estratégia de marketing digital para as redes sociais? Entre em  contacto connosco.